terça-feira, 9 de maio de 2017

Conferência

O orador fala com a mão na frente da boca cofiando o bigode. Fala, monótono, sem fio condutor nas palavras que, coitadas, se perdem no ar, impossíveis de agarrar pelos ouvintes. Esses começam a falar em cochichos, a consultar os telemóveis, a escrever nos tablets, nos cadernos, a tossir, a dormir. O tema é a paisagem mas ninguém a consegue ver. Duvido até que o próprio orador a veja.

11 comentários:

desabafosemrodape disse...

Luísa, é preciso reunir qualidades para agarrar uma audiência. as pessoas precisam de perceber se têm ou não essa qualidade antes de se aventurarem em situações dessas.

bea disse...

Que chatice de conferência.

Gaja Maria disse...

Faltou-lhe entisiasmo e convicção certamente. Não é fácil prender uma plateia, há quem fale em dom :)

Célia Rangel disse...

Que desastre... Coitada da plateia... Haja bocejos e sonolência!!
Abraço.

luisa disse...

Mia,
O senhor não tinha tais qualidades. Não tinha mesmo.

bea,
Uma chatice das grandes, na verdade. O que vale é que não era o único orador e outros houve que sempre conferiram algum interesse ao evento.

GM,
Neste caso, nem sombra desse dom.

luisa disse...

Célia,
Foram uns vinte minutos, ou mais, terríveis.

Os olhares da Gracinha! disse...

Por vezes ... acontece!!! Bj

luisa disse...

Gracinha,
Em congressos, seminários ou outros eventos do género há sempre quem nos consegue cativar e quem nos aborrece solenemente.

Ana Freire disse...

Agarrar uma plateia... não é para qualquer um...
Adorei o texto!... Que o expressou tão bem!
Beijinhos
Ana

redonda disse...

acho que ia ficar com sono :)

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

É o que acontece quando os oradores falam para si próprios e se esquecem da audiência.