terça-feira, 6 de junho de 2017

Uma questão de peso

É senhora para mais alguma idade do que a minha ou pelo menos assim ouso pensar, embora tenha consciência de que, cada vez mais, o meu espírito se desencontra do meu físico e só o espelho tem o poder de os reaproximar. A senhora, que vejo mais velha do que eu, aguarda a consulta da sua mãe, essa sim já velhinha, sentada na cadeira que está ao meu lado. O nosso consultório é porta com porta com o de pediatria e da posição em que nos encontramos, observamos as entradas e saídas da médica pediatra que está de serviço e que aos meus olhos aparenta ser pouco mais nova do que eu. Comenta então a minha vizinha de sala de espera: Já viu estas médicas de agora, tão pequenas e franzinas… Nem parecem médicas. Não imagino qual seria o tamanho e o peso adequado para um médico mas concluo que médica é coisa que eu nunca poderia ter sido.

21 comentários:

Catarina disse...

ahahahahahah!!!

Os bons medicos "medem-se por altura e peso!

: )))))

Os olhares da Gracinha! disse...

Esta é boa!!! Bj

ematejoca disse...

As boas médicas não se mexem aos palmos 😂

ematejoca disse...

Escrevi "medem", mas a minha tablet publicou "mexem" 🤔

Elvira Carvalho disse...

Sempre ouvi dizer que a mulher e a sardinha quer-se pequenina. E uma médica antes de o ser, e apesar de o ser é acima de tudo mulher.
Um abraço

Victor Barão disse...

:)) preconceito :\

papoila disse...

Ahahah...
"Perdem-se" muitas pessoas por causa dos preconceitos...
Olhar para alguém e tirar conclusões pode construir barreiras e por causa disso poderemos por de parte pessoas de quem iríamos gostar :))
Bjs

Gaja Maria disse...

eheheh ai se ela visse a minha sobrinha que é obstetra e pesa 47 kgs :)))

Pedro Coimbra disse...

Deve ser por isso que chamam à minha primita, médica com 33 anos e que casa em Setembro, "a menina".

CCF disse...

São assim as representações sociais das pessoas, umas têm que provar mais do que outras do que são capazes. Mas as pequeninas chegam lá, oh se chegam.
~CC~

Isabel Pires disse...

Luísa, não gosto de ouvir esse tipo de comentários, pois, significam que em tempos se endeusou determinadas profissões e cargos e que, de forma subliminar, continua-se a reproduzir o modelo.

Manu disse...

Lembrei-me de uma peripécia quando comecei a dar aulas, miúda franzina e de batinha branca...batem à porta, fui abrir e diz o senhor:
- Ó menina , não se importa de chamar a senhora professora?
;) ;)

Laura Ferreira disse...

:) :) Luísa, quando vou a médicos adoro observar para depois escrever :)

Rui disse...

Olá Luisa ! Finalmente por aqui de novo e trago-te uma sardinhinha (do arraial da Fonte) . :))... Obrigado pelo "miminho" ! :)

E quanto a essa das idades é sempre o eterno caso :
o aspecto que realmente temos,
o que pensamos nós ter e
o que os outros vêem em nós ! rsrs

Não há que ter ilusões. São 3 formas diferentes de se ver a questão !

Então não se está a ver que médica tem que ter entre 1,45 e 1,90 e pesar entre 40 e 120 kgs ? ... Como imaginá-las diferentes ?... :)))

Beijo

Janita disse...

Mas olha, Luísa, que quando olho para a minha sobrinha mais nova, um nico de gente, enfermeira, uma vontade férrea metida no corpo de uma adolescente (já passada dos trinta) :) fico a pensar o mesmo que essa senhora. Fazer noites, aguentar o frenesim do Pedro Hispano, organizar a vida de mulher e mãe, exigia o corpo de uma mulher com mais peso. :))

luisa disse...

Catarina,
É que nunca tinha pesado em tal unidade de medida para esta profissão… :)

Gracinha,
Realmente… :)
Ematejoca
Não mesmo. Mas há cada preconceito… :)

Elvira,
A sabedoria popular também não está isenta de preconceito, mas esse é ao contrário :)

Victor Barão,
E ninguém diga que não tem nenhum preconceito… :)

Papoila,
Mas olha que não é tão fácil assim livrarmo-nos deles. :)

GM,
Uma gaiata, então… :)

Pedro,
Mas aos 33 ainda se é uma menina… Isto tudo depende da perspetiva. :)

CCF,
De facto todos nós, em função do ambiente em que nos formamos e nos relacionamos uns com os outros, criamos ideias sobre o outro que até podem ser ideias bem enviesadas. Mas a desta senhora é coisa que nunca me ocorreria que alguém pensasse. :)

Isabel,
É provavelmente isso, uma reminiscência de outros tempos e outras circunstâncias. É verdade que tem o seu quê de negativo mas ouvi-lo assim acabou por me fazer sorrir. Lá está, o meu sorriso, que acabou por se traduzir neste post, também não deixa de ter a sua dose de preconceito porque, no fundo, estou a escarnecer de alguém que pode não ter tido a oportunidade de sair do tal modelo.

Manu,
Estou a imaginar a cara do senhor quando respondeste que eras tu… :)

Laura,
Salas de espera de consultórios, de estações, de aeroportos, supermercados… Tudo sítios bastante inspiradores. :)

Rui,
Viva! Lá está, a idade é uma coisa muito instável. Entre a real a dos vários pontos de vista, as possibilidades são muitas. :)

Janita,
E daí… Umas poderão ter mais força mas outras serão mais ágeis… :)

Maria Glória disse...

Incrível, mas as pessoas sempre associam a imagem com as profissões. E por vezes, dão-se bem mal.
Beijinho Luisa.

luisa disse...

Maria Glória,
Esta associação de ideias nunca me passaria pela cabeça. :)

Maria Glória disse...

Luisinha, um bom domingo e muitos beijinhos :)

Ana Freire disse...

Mas os médicos também se medem aos palmos?...
Queira Deus que as suas competências não...
Como sempre um texto, que dá que pensar...
Bjs! Desejando-lhe a continuação de uma óptima recuperação!
Ana

luisa disse...

Ana,
Para esta senhora até parece que sim... :) Obrigada.