quinta-feira, 7 de setembro de 2017

Odonata


Aqueço a minha curta vida de adulto ao sol de setembro e, sem me mover, olho atentamente à minha volta. Procuro alimento e par com quem tratarei de assegurar a continuação da espécie. Vejo quando te debruças sobre mim. Voo para outro ramo de erva seca ou talvez para o arame daquela cerca. Voo, mas volto a ti. Vá, podes tirar o retrato.

12 comentários:

Manu disse...

Foto tirada no momento certo.
Excelente definição e uma excelente macro.

Meu Velho Baú disse...

Digamos Luisa que além de termos no blogue uma boa fotógrafa para complementar uma boa escritora. :)

bea disse...

:).

Victor Barão disse...

É o tipo de insecto sempre fotografável! Mas fotografá-lo com esta qualidade compositiva e expositiva não é para toda/os. Quantos às palavras, o que dizer?! Magnificas _ retratam literariamente a espécie e também este concreto exemplar para com a foto da Luisa :).
A minha total reverência (pessoal, fotográfica e escrita)
Parabéns
Abraço

Pedro Coimbra disse...

Uma foto conseguida naquele instante único e breve.
Excelente.
Bfds

Portugalredecouvertes disse...


Que lindos olhos que ela tem, Luisa !
porque me parece uma ela, com essa elegância de modelo !

Briseis disse...

Gosto que tenhas tirado um "retrato". Uma "fotografia" pode ser tão impessoal. O retrato implica um sujeito retratado. E é o caso. =)

mz disse...

Luísa, vou procurar um par para a tua Libelinha.

Tão bonita!

Beijinhos

luisa disse...

Tenho um fraco por libelinhas. Este ano ainda não tinha fotografado nenhuma, até à semana passada. Acho lindas. Obrigada a TODOS vós, pela companhia e pela simpatia. :)

flor disse...

quanta beleza, luisa...

Maria Eu disse...

Caramba, Luísa, que já não te chegava fotografar tão bem. Tinhas que escrever igualmente bem! :)

luisa disse...

Obrigada flor! e Obrigada Maria Eu!