segunda-feira, 22 de janeiro de 2018

Pele

A jovem poderia ser minha filha, não pelos traços físicos, mas pela distância entre idades. A dela e a minha.  Enquanto aguardo a vez na caixa da loja de decoração, observo-a. O rosto de linhas perfeitas, a tez clara, ainda mais clara por contraste com o negro sedoso do cabelo, de corte curto, moldura perfeita. O batom vermelho-vivo e mate sublinhando o desenho primoroso dos lábios. O traje também atrai o meu olhar. De preto e branco, sapatilhas e padrão pied-de-poule no casaco, deambula pela loja na maior elegância. É bonita de se ver. E jovem. Muito jovem. Não consigo deixar de olhar para ela e para a sua pele tão lisa. Uma pele como não voltarei a ter. 

22 comentários:

Janita disse...

...mas já tiveste, Luísa! :) Já tiveste uma pele lisa e luminosa.
O tempo não passa por nós e nos deixa incólumes à sua passagem.

Contudo, diz quem te conhece pessoalmente - infelizmente ainda não tive esse prazer - que és muito bonita. Tens uma tez clara e lindos olhos azuis...então? Nada de nostalgias! :)

Beijinhos.

bea disse...

Mas já teve:). Já foi como ela (mas é verdade, dá uma certa nostalgia)

Maria Eu disse...

Uma questão que se põe de vez em quando, a do envelhecimento. Por mais que o neguemos, há sempre esses momentos.

Beijos, Luísa :)

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Pode já não ter uma pele assim, mas terá outras coisas que a jovem ainda não tem, Luísa

Victor Barão disse...

Belo retrato escrito.
Perde-se a "perfeição da pele", ganham-se outros valores, como por exemplo a capacidade de escrever desta tão atractiva forma _ que não quero dizer que a Luísa não tenha essa capacidade como algo inato desde há muito ou mesmo desde globalmente sempre, mas cabe supor que se aprimorará com o tempo associado à prática.
Excelente semana
Abraço

Pedro Coimbra disse...

Às vezes esses olhares dão em obsessão...

Gil António disse...

Boa dia. A idade não perdoa. E sendo vista com olhos de ver, nota-se pequenas diferenças por vezes só visíveis aos olhos de quem é livre de alma e pensamento.
.
Soneto: * Amor ... ou castigo do coração? *
.
Desejando um dia muito feliz
.

Gaja Maria disse...

Os anos passam e a pele mostra as marcas da vida. São tuas, já viveste coisas que essa miúda talvez não viverá. Ou pelo menos iguais. Cada marca da pele é só nossa :)

Janela Indiscreta disse...

Envelhecer é um fardo pesado. Por mais que se aceite, o espelho devolve-nos a imagem do tempo que passa. Dizem que sorrir afasta as rugas :)
Bom dia Luísa

Cidália Ferreira disse...

Muito bem! temos que saber lidar com o que a vida nos dá. Amei ler

Beijo e um excelente dia.

Laura Ferreira disse...

escreveste muito bonito, sobre esta mulher :)

Célia Rangel disse...

A marca do tempo... Fica a sobriedade da sabedoria da maturidade que nos faz encantar pelo belo! Também temos a nossa beleza, creia nisso.
Abraço.

mz disse...

Ser jovem e saber tirar partido de toda a beleza, não é para todas.Contudo as mulheres de idades maduras e que sabem tirar partido da sua beleza, são igualmente belas mesmo vestindo a outra pele.

Eu compreendo a mensagem, Luísa.

beijinhos :)

Graça Sampaio disse...

Ui que inveja!!! (da descrição, claro!) :)))

Tão bonito de ver alguém com elegância!

Mar Arável disse...

A pele só tem idade
a superficie

luisa disse...

Janita,
Mas foi uma nostalgia “boa”. Como aquelas em que remexemos nos velhos álbuns de fotografias. Não me queixo da idade, ou melhor, queixo-me como toda a gente se queixa. Faz parte. :)

Bea,
É inevitável pensarmos no que fomos e no que nos tornamos. Importa tirar o melhor dos dois tempos.

Maria Eu,
Lá está… Há dias em que nos confrontamos com o passar do tempo e nos damos conta de que também nós envelhecemos. Não são só os outros. :)

Carlos,
Verdade. Porém, a balança dos dias nem sempre está devidamente calibrada e ora pesa mais um ou outro prato.

Victor,
Talvez nos conforte pensar assim, que a idade nos traz outros bens. :)

Pedro,
Não temo isso. Acho que consigo controlar-me. :)

Gil,
Não perdoa mesmo. E o espelho não engana. :)

GM,
Tens razão. Posso ter saudades da minha juventude mas não troco nada por esses anos e assumo bem os que acumulo. :)

Janela Indiscreta,
Então vamos sorrir muito… :) :) :)

Cidália,
Sim. É um exercício diário. :)

Laura,
Era uma mulher bonita, de verdade.

Célia,
Treinando para encontrar a beleza em cada etapa da vida… :)

Mz,
Somos demasiado pressionadas por ideais de juventude eterna… E ela está longe de ser eterna. No entanto, com as atuais tendências demográficas de acentuado envelhecimento da população, julgo que se tenderá também a valorizar as pessoas mais velhas. Por isso, caminhemos confiantes. :)

Graça,
Cruzamo-nos com toda a sorte de personagens. Esta era uma espécie de Branca de Neve. :)

luisa disse...

Mar Arável,

Será então desejável mergulhar... :)

Rui disse...

Muito interessante comparar os comentários das mulheres com os dos homens !!!
:))
Claro que eu concordo em absoluto com os dos homens e considero as mulheres relativamente obcecadas com as questões da idade !

Para além de muitas coisas que as preocupam quando se comparam a jovens, há uma enorme leque de outras coisas que as tornam muito mais "interessantes" que o que possam pensar !
Há quem considere a adolescência, na mulher, até aos 35. Aos 40 torna-se mulher perfeita e dizem muitos que a vida começa aos 50 ! ...
É um facto que ganham muito com a maturidade e a experiência, só que talvez, por várias condicionantes, ainda não tenham disso a noção que deveriam ter !

Meu Velho Baú disse...

Um texto com a descrição perfeita de uma jovem que como pormenor tinha a sua pele lisa.
Pois os anos não perdoam a nível de fisionomia mas também ele nos dá experiências muito interessantes.

luisa disse...

Rui,
Não acredito que os homens não liguem nada ao envelhecimento... Eles também se preocupam. E essa escala de idades tem muito que se lhe diga... Mas enfim, se a vida começa aos 50, sou uma miúda ainda... :))

Meu Velho Baú,
Eu não lastimo o facto de envelhecer. Quero é poder envelhecer o melhor possível. Isso passa pela aceitação e pela descoberta das coisas boas que a idade também nos traz. :)

LuisY disse...

Bonito texto. Por mais que se diga que se aceita o envelhecimento, sentimos sempre uma nostalgia do brilho da juventude.

O jovem David que Miguel Ângelo imortalizou na sua estátua, também acabou por engordar, perdeu o cabelo e ganhou um duplo queixo quando atravessou os quarenta anos e chegou aos cinquenta. Mas, no entanto lá ficou imortalizada aquela imagem de beleza da juventude, que todos perdemos. Não há nada a fazer.

luisa disse...

LuisY,
É certo. Não há como escapar ao envelhecimento, por isso o melhor é aceitá-lo, mesmo suspirando de vez em quando pela juventude que ficou lá atrás. :)
Obrigada.