quinta-feira, 8 de fevereiro de 2018

Mandrágora

Há meses que ando a cumprir escrupulosamente o desejo de J.L. Borges e de Margarita Guerrero. Coloquei o Livro dos Seres Imaginários na pilha dos que residem na minha mesa de cabeceira e, de tempos a tempos, tal como manifesta o prólogo, curiosa que sou, frequento uma ou outra entrada, “como quem joga com as formas cambiantes reveladas pelo caleidoscópio”.

Uma ou outra vez, calha-me abrir a página dedicada à Mandrágora. Acredito que as há aqui bem perto, no campo por onde repetidamente passeio. Uma, pelo menos, vi. Um dia atrevo-me a tentar arrancá-la do chão, desafiando potenciais e terríveis calamidades. Ou então, não. Observá-la-ei, como sempre, temerei ou questionarei os seus poderes, os já descritos e os que ainda falta imaginar.

15 comentários:

xilre disse...

«Difícil empresa para los hombres...» Mas não impossível, lá está, não impossível.

bea disse...

Nada sei desse livro, mas andei bisbilhotando as mandrágoras. Não são feias e nem me parece que desatem aos gritos assim sem mais nem menos. Quase jurava - se eu fosse de juras - que são mudinhas de todo.

Janita disse...

Melhor não arriscares, Luísa. Contempla-a somente. Diz, quem sabe, que soltam gritos lancinantes...:)

Pedro Coimbra disse...

Se experimentar conte-nos o resultado :))
Bfds

Catarina disse...

Tive que pesquisar para me informar qual o significado de mandrágora. Parece ter sido usado para feitiçaria.
Acho melhor olhares apenas! : ))

Larissa Santos disse...

Imagino um livro maravilhoso!!

Hoje:- Perdidos num brinde silencioso.
.
Bjos
Votos de um feliz fim de semana


Os olhares da Gracinha! disse...

Ainda não tinha ouvido falar!!!bj

Os olhares da Gracinha! disse...

Ainda não tinha ouvido falar!!!bj

Patife disse...

Chá da Mandrágora é a forma menos perigosa de experimentar. Recomendo vivamente, desde que não tenhas de ir trabalhar a seguir. ;)

Cidália Ferreira disse...

Humm fiquei curiosa!!

Beijo e bom fim de semana

Flor de Jasmim disse...

Não conheço, mas vou pesquisar!

Bom fim de semana Luísa e um beijinho.

luisa disse...

Xilre,
Talvez eu possa contar com a ajuda dos deuses… quem sabe. :)

Bea,
Talvez dependa dos ouvidos de quem se atreva… :)

Janita,
Na verdade, inclino-me mais para a contemplação. :)

Pedro,
Combinado. :)

Catarina,
Provavelmente ficará por isso mesmo. :)

Larissa,
E é. Um livro de maravilhas inventadas. :)

Gracinha,
Não? Nem sequer no “Harry Potter”?

Patife,
Hum… Não me parece que vá seguir tal recomendação… :)

Cidália,
:) Bom fim de semana para si também.

Adélia,
O google explica tudo. :)

Manuel Veiga disse...

dizem que a raiz faz milagres.

SILO LÍRICO - Poemas, Contos, Crônicas e Outras disse...

Luísa, se a mandrágora é afrodisíaca não sei. Deve como tantas outras plantas alucinógenas que nossos selvícolas utilizavam para drogarem-se. Aqui nesta ilha os antigos usavam uma flor chamada de jurubeba. O chá dele dava um efeito desgraçado em que potencializava todos os sentidos, instintos e forças. Se o cara tomasse com o objetivo da prática sexual, claro que iria à loucura do sexo. O bom mesmo é cara lavada em que o praze é mais verdadeiro e não dá ressaca ou arrependimento. Grande abraço. Laerte.

luisa disse...

Manuel Veiga,
Já nem sei no que acreditar, então... Se em bruxas, se em Santos. :)

Laerte,
Nem me vou atrever a conhecer os efeitos da coisa. :)